Paz do Senhor seja convosco, meus queridos irmãos em Cristo!

Esses dias fui desafiado por grandes amigos (Thayná e Vinícius) para dar andamento em um projeto que Deus havia posto em meu coração há algum tempo, pois nos sentiamos incomodados com a apatia de nossa igreja, a qual passa por um avivamento, mas não tem saído das quatro paredes. Então escrevemos o projeto e nos dispomos a orar, jejuar e fazer um propósito em função das pessoas que futuramente entrarão para esse ministério. Lendo o evangélio de Mateus esses dias percebi que a presença de Jesus era notória por onde Ele passava, sem que fizesse alarde conseguia atingir a quem estava necessitando, digo atingir, mas atingir com graça, que restaura e renova o verdadeiro Amor dentro de nós.

Como um rabino Jesus tinha seus discípulos e como discípulos eles queriam ser iguais ao rabino, queriam fazer o que o rabino fazia, simplesmente queriam ser como ser como o seu rabino era. Mas não são os discípulos que escolhem o seu rabino, mas sim o rabino escolhe os seus discípulos. Você ja pensou nisso, Jesus os chamou, “Venha, siga-me.” e eles largaram tudo e foram, quando foi ministrada sobre os discípulos a grande comissão eles receberam a autorização de seu rabino para serem rabinos dos seus próprios discípulos, como Paulo disse em sua carta aos Coríntios (1 Coríntios 11:1):

“Sede meus imitadores, como também eu sou, de Cristo”

ou seja hoje, ou algum dia atrás, Cristo chegou a você e disse, “Venha, siga-me”. Cristo realmente acredita que você pode ser como Ele, fazer o que Ele fez.

  • Você crê? E qual é a sua reação? Largará tudo e o seguirá? Ou continuará pescando seus peixes, ao invés de pescar homens?(lembre-se da história de Paulo, ele continuou trabalhando, mas nem por isso deixou de pregar o Reino de Deus);

Ouça a música, leia a última frase e vá conversar com seu Rabino: Jesus.

  • Deus nos chama e confia em nós, porém cabe a nós seguirmos os seus passos. (Rafael Pontes)